Reflexões de uma mente

março 22, 2008

Filed under: Sentimentalismo — Bruna Chieco @ 4:51 pm

Uma lágrima é fruto da dor, não sinal de amor.

.

.

lagrima.jpg
.

Cabeça versus Coração

Filed under: Sobre a mente — Bruna Chieco @ 4:39 pm

É muito comum deixarmos nossa cabeça interferir no coração e vice-versa. Fazemos isso talvez por medo ou pra ser racionais, ou por que somos sentimentais ao extremo.

Afinal, o que é ser racional? Não se entregar a sentimentos claros, ignorá-los, não demonstrar afeto, ser “frio”? Ora, tudo isso me parece um tanto quanto superficial. Claro que quando nos magoamos a tendência é que todo esse “racionalismo” venha a tona involuntariamente. Porém, podemos acabar nos enganando, achando que somos imunes a qualquer sentimento, e o importante é ficar “livre”. Quer dizer que demonstrar afeto e assumir sentimentos por alguém que até pode te corresponder é se prender num martírio eterno e sufocante?

Dependendo do que o sentimento traz pode até ser. Podemos nos tornar possessivos, obsessivos, até loucos sem ao menos ter um pingo de racionalidade em nossos atos. E pior, somos capaz de nem entender o que fizemos isso, porquê fizemos aquilo.

Como conciliar? Acho que essa é uma pergunta que poucos sabem responder. Enquanto tantos adoram falar “sejamos racionais”, outros nem sabem o que é ser racional, ou o que é ter sentimentos. Penso que não é nada saudável passar noites e dias chorando por alguém sem nem saber porquê. Porém, ser frio, esconder seus sentimentos de si mesmo, desperdiçar oportunidades, apagar pessoas de sua vida antes mesmo que elas tenham permissão para entrar nela… bem, não vejo tantos lados positivos nisso.

Por isso que não devemos programar nada em nossas vidas. Pelo menos não no quesito “lazer”. Claro que se você quer um apartamento novo, um carro, mudar de emprego, cursar faculdade, isso exige programações contínuas e infinitas. Mas na hora de sair, conhecer pessoas, viver experiência devemos nos abster de racionalismos intensos e bloqueios de sentimento.

Vamos aproveitar oportunidades que aparecem em nossas vidas, “vamos nos permitir”!

Essa é a minha reflexão. Um pouco racional, um pouco sentimetal.

Qual é a sua?!

março 17, 2008

Reflexões de uma mente em constante conflito

Filed under: Sobre a mente — Bruna Chieco @ 7:05 pm

imagem4.jpg

Acredito que o importante para todos nós é refletir. Pensar, analisar, vivenciar… enfim, não vou ladainhar sobre o que é refletir (leiam em páginas sobre isso).

Conflito. Todos nós passamos por conflitos dos mais variados, conflitamos até com nós mesmos. Quando sua mente está em constante conflito já é de se esperar crises, choros, gritos seguidos de risadas, abraços seguidos tapas. Coisas que pessoas a seus redor nunca entenderão (nem se elas mesmas possuírem um mente conflitante). Há de se convir que não podemos exigir que nos entedam já que nem nós mesmos conseguimos nos entender. Porém, sempre surge aquelas quatro palavras impactantes “você não me entende!”. Ora, já era de se esperar não é mesmo?

Depois de REFLETIR (sim) muito sobre fazer ou não um blog (não julgue minhas reflexões, todas são válidas) decidi que gostaria seu endereço fosse reflexões de uma mente. Porém, ia ficar grande e confuso, então decidi mudar para reflexões. E como eu já havia imaginado, esse endereço já está ativo. Então mudei para constante. Porque constante, além de ser usada na matemática (não me perguntem como, disso eu não entendendo e nem quero!), é uma palavra intensa. Você sente que é algo contínuo, não passageiro. Ao longo da vida você conhece pessoas constantes, você vive situações constantes. E assim quero que meu blog seja, constante, e que minhas palavras sigam contínuamente na mente de quem quiser as ler.

Por isso o título se tornou reflexões de uma mente. Eu reflito diante de coisas que minha mente guarda a sete chaves e apesar de muitas vezes entrar em conflito com meus próprios pensamentos, quero que os importantes sejam constantes, para que não acabe e para que eu não esqueça.

Essa é a minha reflexão. Conflitante, constante, ambígua, interminável.

Qual é a sua?!

« Página anterior

Blog no WordPress.com.